Autor Questão de Crítica

Vol. VI, nº 52, fevereiro de 2013

28 de fevereiro de 2013 Editoriais

O mês de fevereiro tem sido difícil para o teatro carioca: com diversos teatros fechados há quase um mês, por descaso e irresponsabilidade do poder público, muitas temporadas foram interrompidas – algumas em sua última semana – ou canceladas. Algumas simplesmente não poderão retornar à cidade tão cedo, porque precisam cumprir suas agendas de circulação por outras cidades, ou também porque muitos artistas não têm como conciliar suas agendas fora daquelas datas previstas em contratos que foram simplesmente rompidos. Esta situação mobilizou muitas pessoas das artes cênicas a se manifestar publicamente, se encontrar para debater e procurar soluções para a desagradável situação. Enquanto um grupo atualmente reunido no movimento “Reage, artista!” trabalha para organizar as propostas, a classe teatral carioca aguarda um posicionamento da Secretaria Municipal de Cultura sobre a reabertura dos teatros e as novas diretrizes das suas políticas culturais. Aproveitamos este espaço para manifestar nosso apoio a este movimento e para reivindicar dos órgãos responsáveis um posicionamento mais objetivo, bem como uma abertura mais ampla para o diálogo com os artistas e empreendedores culturais da cidade.

Muitos teatros, no entanto, continuam abertos, e nesta edição analisamos algumas peças em cartaz na cidade, bem como outras que foram criadas no Rio, mas que estão atualmente se apresentando em São Paulo.

Daniel Schenker escreve sobre Gonzagão, a lenda, peça dirigida por João Falcão que esteve em cartaz no Teatro Ginástico; sobre Porcos com asas, que tem direção de Claudio Handrey, em cartaz na arena do Espaço Sesc; e sobre Hoje é ontem também, processo de criação realizado com a diretora argentina Lola Arias e alguns grupos cariocas reunidos pela Ocupação No Lugar, no Teatro Ipanema.

Dinah Cesare escreve sobre Jacinta, uma comédia musical com Andrea Beltrão em cartaz no Teatro Poeira, e sobre Quase normal, musical dirigido por Tadeu Aguiar que fez temporada no Rio no Teatro Clara Nunes e agora está em cartaz em São Paulo.

Outra produção carioca em cartaz na capital paulista é A marca da água, com direção de Paulo de Moraes, que nesta edição tem crítica de Mariana Barcelos. Natalia Nolli Sasso escreve sobre O Abajur Lilás ou uma Medeia perdida na Rua Augusta?, peça do Núcleo Caixa Preta, de São Paulo, em cartaz no Sesc Belenzinho.

No mês de março o Selo Questão de Crítica publicará um novo título em sua Coleção Dramaturgias, o livro do grupo mineiro Quatroloscinco, com o texto das peças É só uma formalidade e Outro lado. Por meio desta publicação, alimentamos as trocas que vimos tendo com o grupo Quatroloscinco, ao longo dos nossos anos de existência – o grupo tem cinco anos, a mesma idade da revista – por isso, resolvemos juntar a fortuna crítica aos textos das peças nesse livro. O lançamento acontecerá no dia 16 de março às 19h no Galpão do Cine Horto na Rua Pitangui, 3613 – Horto – Belo Horizonte.

No mês de março, quando completa cinco anos de atividade, a Questão de Crítica realizará dois importantes eventos, ambos em parceria com o Espaço Sesc. O 2º Prêmio Questão de Crítica será nossa festa de aniversário, celebrada com os indicados ao prêmio, que podem ser conhecidos no blog do evento: www.questaodecritica.com.br/premioqdc. A partir do dia 23 de março, daremos início a uma série de atividades formativas no 2º Encontro Questão de Crítica, cuja programação pode ser conferida no evento que criamos no Facebook: https://www.facebook.com/events/490513071010275/. Em breve, atualizaremos o blog do Encontro.

Colaboraram nesta edição:

Daniel Schenker, Dinah Cesare, Mariana Barcelos, Natalia Nolli Sasso.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 52, fevereiro de 2013

Vol. VI, nº 51, janeiro de 2013

31 de janeiro de 2013 Editoriais

A edição de janeiro de 2013 da Questão de Crítica traz textos sobre processos criativos e críticas de espetáculos atualmente em cartaz na cidade, bem como críticas de peças que já saíram de cartaz, mas que têm potencial de circulação e continuidade.

Dinah Cesare escreve sobre Farnese de Saudade, trabalho solo de Vandré Silveira com direção de Celina Sodré que põe em cena a pesquisa do ator sobre o artista plástico Farnese de Andrade. Ela também escreve sobre O líquido tátil, peça do Grupo Espanca! criada em parceria com o diretor argentino Daniel Veronese, que esteve em cartaz no CCBB no segundo semestre do ano passado, junto com o repertório do grupo.

Daniel Schenker e João Cícero escrevem sobre O lugar escuro, peça de Heloisa Seixas dirigida por André Paes Leme atualmente em cartaz na arena do Espaço SESC, com Camilla Amado, Clarice Niskier e Laila Zaid.

Mariana Barcelos escreve sobre Moi Lui, segunda peça do projeto Beckett, na qual Ana Kfouri está em cena com a direção de Isabel Cavalcanti. O espetáculo está em cartaz no Teatro Poeirinha, juntamente com Primeiro Amor, que teve crítica publicada na edição de dezembro de 2012 da Questão de Crítica.

Renan Ji escreve sobre Oréstia, projeto de Malu Galli, com direção dela e de Bel Garcia a partir da trilogia de Ésquilo. A peça estreou ainda em 2012 e cumpriu temporada na Casa de Cultura Laura Alvim.

Na seção de processos, Jefferson Almeida escreve sobre o processo de criação da sua montagem de Deus e o diabo na terra do sol, realizada a partir do filme de Glauber Rocha, no contexto do curso de Direção Teatral da UNIRIO. Ainda nesta seção, Andrea Santiago escreve sobre a 2ª edição do projeto ENCENA, realizado na Galeria TAC, na Lapa. A intenção do evento, idealizado e produzido por Luciana Guerra Malta, é que grupos apresentem parte do seu processo de criação e/ou linha de trabalho que resultará numa montagem, para ter um retorno do público durante o processo.

Colaboraram nesta edição:

Andrea Santiago, Daniel Schenker, Dinah Cesare, Jefferson Almeida, João Cícero Bezerra, Mariana Barcelos, Renan Ji.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 51, janeiro de 2013

Vol. V, nº 50, dezembro de 2012

31 de dezembro de 2012 Editoriais

A edição de dezembro da Questão de Crítica encerra os trabalhos de 2012. A seção de críticas traz textos sobre algumas peças criadas no Rio de Janeiro e uma de Belo Horizonte. Dinah Cesare escreve sobre Depois da Queda, de Arthur Miller, peça dirigida por Felipe Vidal que estreou no Teatro Gláucio Gill, na programação da Ocupação Complexo Duplo, que também recebeu em novembro e dezembro o espetáculo Capivara na luz trava, primeira direção de Fernando Nicolau, que recebe crítica de Daniel Schenker. Dinah Cesare também escreve sobre Por Elise, primeiro espetáculo do Grupo Espanca que retorna ao Rio na programação da Ocupação No Lugar do Teatro Ipanema.

Mariana Barcelos escreve sobre Primeiro amor, de Samuel Beckett, solo de Ana Kfouri com direção de Antonio Guedes. Dâmaris Grün escreve sobre a nova criação do Grupo Garimpo, o espetáculo Nível 6, que estreou no Espaço Rampa em outubro deste ano e fez outras apresentações em novembro e dezembro no Comuna. Daniele Avila Small escreve sobre O homem travesseiro, de Martin Mc Donagh, dirigido por Bruce Gomlevski.

Na seção de estudos, Luciana Romagnolli faz uma análise da 1ª Mostra de Dramaturgia Sesi/PR – Teatro Guaíra, coordenada por Roberto Alvim. O texto reflete sobre a mostra como um todo e comenta alguns espetáculos.

Na seção de conversas, Marcio Freitas conversa com Moacir Chaves a propósito da pesquisa para a dissertação de mestrado de Marcio, Cenas da voz: A sonoridade no teatro de Aderbal Freire-Filho, Moacir Chaves e Jefferson Miranda.

Na seção de traduções, publicamos mais uma peça exemplar do Grand Guignol, Crime no hospício, traduzida do francês por Raphael Cassou, que atualmente se dedica a pesquisar o gênero.

Em janeiro de 2013, divulgaremos os indicados do segundo semestre de 2012 ao 2º Prêmio Questão de Crítica, bem como as datas do 2º Encontro Questão de Crítica. Os dois eventos serão realizados em março, em parceria com o SESC-Rio, em Copacabana. Para saber sobre a primeira edição do Prêmio Questão de Crítica, visite o site: http://questaodecritica.com.br/premioqdc/

Colaboraram nesta edição:

André de Lorde, Dâmaris Grün, Daniel Schenker, Daniele Avila Small, Dinah Cesare, Luciana Eastwood Romagnolli, Marcio Freitas, Mariana Barcelos, Raphael Cassou.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. V, nº 50, dezembro de 2012

Vol. V, nº 49, novembro de 2012

30 de novembro de 2012 Editoriais

A edição de novembro de 2012 traz uma série de críticas de peças do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Belo Horizonte, de grupos consagrados e outros recém-formados.

São duas as peças de São Paulo analisadas nesta edição. Daniel Schenker escreve sobre Bom Retiro 958 metros, do Teatro da Vertigem, espetáculo apresentado nas ruas do bairro do Bom Retiro, em São Paulo.

Dinah Cesare escreve sobre Ficção, projeto da Cia. Hiato, que reúne cinco solos autobiográficos criados pelos atores e pelo diretor do grupo, Leonardo Moreira. As peças foram trazidas para o Rio em outubro, na programação do Tempo Festival.

O espetáculo Estufa, de Nina Balbi, apresentado no contexto da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena, também tem crítica de Dinah Cesare, que realizou ainda uma conversa com a diretora, na seção de conversas.

Entre as outras peças criadas no Rio de Janeiro analisadas nesta edição estão Cine Gaivota, em cartaz no Parque da Ruínas, com direção de Daniela Amorim; Valsa nº6, de Nelson Rodrigues, monólogo com Luisa Thiré e direção de Claudio Torres Gonzaga, em cartaz no galpão do Espaço Tom Jobim.

Mariana Barcelos escreve sobre Esta criança, texto de Joël Pommerat dirigido por Marcio Abreu, uma parceira da Companhia Brasileira de Teatro com Renata Sorrah, que atua no espetáculo em cartaz no CCBB.

De Belo Horizonte, o grupo Espanca! traz ao Rio seu repertório. Dinah Cesare escreve sobre Amores surdos, espetáculo do grupo que tem texto de Grace Passô e direção de Rita Clemente, que esteve em cartaz no CCBB.

Em breve, divulgaremos informações sobre o 2º Encontro Questão de Crítica,  que se realizará a partir de março de 2013, com debates, oficinas e um seminário de História da Crítica. Também em março do ano que vem, quando completaremos cinco anos de atividades regulares, vamos realizar a 2ª edição do Prêmio Questão de Crítica.

No dia 4 de dezembro, a partir das 20h, haverá o lançamento de mais um texto de teatro pelo Selo Questão de Crítica, capitaneado por Humberto Giancristofaro: Breu, de Pedro Brício. O lançamento vai acontecer na Editora Multifoco, na Lapa, com uma edição especial do Encontro Pensamento, um debate com Dinah Cesare e Daniel Schenker. O endereço é Av. Mem de Sá 146, Lapa.

Colaboraram nesta edição:

Daniel Schenker, Dinah Cesare e Mariana Barcelos.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. V, nº 49, novembro de 2012

Vol. V, nº 48, setembro de 2012

30 de setembro de 2012 Editoriais

A edição de setembro da Questão de Crítica traz críticas de espetáculos produzidos dentro e fora do Brasil. Do festival Porto Alegre em Cena, Daniel Schenker escreve sobre a montagem alemã de Mãe Coragem e seus filhos, de Bertolt Brecht, dirigida por Claus Peymann, do Berliner Ensemble. De Curitiba, Luciana Eastwood Romagnolli escreve sobre a peça As Tramoias de José na Cidade Labiríntica, da Obragem Teatro e Cia.

A seção de críticas traz ainda três textos sobre produções do Rio de Janeiro. Raphael Cassou escreve sobre Fã-Clube, texto de Keli Freitas dirigido por Renato Livera, a nova peça da Cia Físico de Teatro, que fez temporada no SESC Rio. João Cícero Bezerra escreve sobre O maravilhoso museu da caça e da natureza, espetáculo dirigido por Renato Linhares, que esteve em cartaz no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, na programação do Projeto Entre. Dinah Cesare escreve sobre A gaivota, de Anton Tchekhov, dirigida por Bruno Siniscalchi, que faz sua estreia na direção com esta montagem. A peça esteve em cartaz no Teatro Gláucio Gill, na programação da Ocupação Complexo Duplo.

De fora do Brasil, publicamos textos sobre dois trabalhos relacionados à performance. Paulo Aureliano da Mata escreve sobre a performance-instalação I love you, de Snežana Golubović, que esteve na programação do Rapid Pulse International Performance Art, Festival da Defibrillator Performance Art Gallery, na cidade de Chicago. Tales Frey faz a crítica do espetáculo The Life and Death of Marina Abramović, encenada por Bob Wilson, atualmente em turnê pela Europa.

Neste mês, divulgamos os indicados do primeiro semestre de 2012 ao 2º Prêmio Questão de Crítica. A festa de premiação será realizada em março de 2013 no Rio de Janeiro. Para saber sobre a primeira edição do Prêmio Questão de Crítica, visite o site: http://questaodecritica.com.br/premioqdc/

Colaboraram nesta edição:

Daniel Schenker, Dinah Cesare, João Cícero Bezerra, Luciana Eastwood Romagnolli, Paulo Aureliano da Mata, Raphael Cassou, Tales Frey.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. V, nº 48, setembro de 2012

Notes

Newsletter

Edições Anteriores

Questão de Crítica

A Questão de Crítica – Revista eletrônica de críticas e estudos teatrais – foi lançada no Rio de Janeiro em março de 2008 como um espaço de reflexão sobre as artes cênicas que tem por objetivo colocar em prática o exercício da crítica. Atualmente com quatro edições por ano, a Questão de Crítica se apresenta como um mecanismo de fomento à discussão teórica sobre teatro e como um lugar de intercâmbio entre artistas e espectadores, proporcionando uma convivência de ideias num espaço de livre acesso.

Edições Anteriores