Editoriais

Vol. VI, nº 55, maio de 2013

29 de maio de 2013 Editoriais

A edição de maio de 2013 da Questão de Crítica está concentrada na seção de críticas. Foram analisadas peças de diferentes cidades do Brasil, pois acompanhamos a programação do Festival Palco Giratório, além das peças que estão em cartaz na cidade.

Estas são as críticas do Festival:

Daniel Schenker escreve sobre Boi, trabalho solo de Guido Campos Correa, da SerTão Teatro Infinito Cia., de Goiânia. Dinah Cesare escreve sobre Caetana, espetáculo da Duas Companhias, de Recife, formada por Lívia Falcão e Fabiana Pirro. Daniele Avila Small escreve sobre Luis Antonio-Gabriela, da Cia Mugunzá, de São Paulo, fazendo uma ponte com a peça TransTchekov, trabalho de Celina Sodré também apresentado no contexto do Palco Giratório. A aproximação entre as peças foi sugerida pela curadoria do festival, que convidou Celina Sodré para o debate do Pensamento Giratório sobre as peças.

Em junho, daremos continuidade às críticas da programação do Palco Giratório.

Da programação carioca, publicamos duas críticas. Daniel Schenker escreve sobre O que você mentir eu acredito, peça dirigida por Rodrigo Portella, com texto de Felipe Barenco sobre diversos contos de Caio Fernando Abreu, em cartaz no teatro do Sesi. Dinah Cesare escreve sobre 5 garrafas de cana e 1 caju maduro, texto e direção de Leon Góes, que esteve em cartaz no Parque das Ruínas durante o mês de maio.

De São Paulo, Julia Guimarães escreve sobre Nada aconteceu, tudo acontece, tudo está acontecendo, espetáculo do Grupo XIX de Teatro criado a partir de Vestido de noiva, de Nelson Rodrigues.

No dia 31 de maio, a equipe da Questão de Crítica ministra uma oficina de crítica no Espaço Cultural Escola Sesc. Informações no blog: http://teatroescolasesc.wordpress.com/2013/04/12/inscricoes-abertas-oficina-sobre-critica-teatral/

Colaboraram nesta edição:

Daniel Schenker, Daniele Avila Small, Dinah Cesare, Julia Guimarães Mendes.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 55, maio de 2013

Vol. VI, nº 54, abril de 2013

30 de abril de 2013 Editoriais

Na edição de abril de 2013, a seção de críticas dá atenção especial ao Festival Dois Pontos, que reúne uma intensa programação de teatro dança e música de Portugal e do Brasil, organizado pelas ocupações da Rede Municipal de Teatros e que acontece nos teatros desta rede durante todo o mês de abril.

Do Festival Dois Pontos, Dinah Cesare escreve sobre Mundo Maravilha, espetáculo criado em parceria pelo grupo português Mundo Perfeito e pelo grupo brasileiro Foguetes Maravilha, e sobre Horror ou estudo sobre a paralisia, do Coletivo 84. Renan Ji escreve sobre Wanted, do grupo português Commedia a la carte com direção de John Mowat.  Daniele Avila Small escreve sobre Se uma janela se abrisse, do Mundo Maravilha.

Ainda na seção de críticas, Daniel Schenker escreve sobre Os bem-intencionados, espetáculo do Lume, de Campinas, com direção de Grace Passô, sobre Prazer, da Cia Luna Lunera, grupo de Belo Horizonte em cartaz no CCBB do Rio com seu mais recente espetáculo, e sobre In_Trânsito, da Cia Marginal, que acontece nos trens da Super Via com direção de Isabel Penoni e Joana Levi.

Da XII Mostra de Teatro da UFRJ, Dâmaris Grün escreve sobre Monologue, com Tatiana Henrique, direção de Marília Gurgel a partir de A mulher desiludida, de Simone de Beauvoir

Na seção de processos, Diogo Liberano escreve sobre a criação da peça Vazio é o que não falta, Miranda.

Em maio, daremos continuidade ao 2º Encontro Questão de Crítica, com o Seminário de História da Crítica, coordenado por Daniele Avila Small e Dinah Cesare. As informações sobre dias e horários estão no blog do Encontro: http://www.questaodecritica.com.br/encontro/oficinas-2013-2/. Os interessados devem enviar breve currículo para contato@questaodecritica.com.br.

Colaboraram nesta edição:

Dâmaris Grün, Daniel Schenker, Daniele Avila Small, Dinah Cesare, Diogo Liberano, Renan Ji.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 54, abril de 2013

Vol. VI, nº 53, março de 2013

31 de março de 2013 Editoriais

Em março de 2013, a Questão de Crítica completa 5 anos de atividades. Para comemorar, realizamos neste mês o 2º Prêmio Questão de Crítica e o 2º Encontro Questão de Crítica. Os contemplados na nossa premiação podem ser conhecidos no seguinte link: http://questaodecritica.com.br/premioqdc/premiados-2o-premio-questao-de-critica-2012/. As informações sobre as próximas atividades do encontro podem ser encontradas aqui: http://www.questaodecritica.com.br/encontro/programacao-2013/.

A edição de março traz textos nas seções de críticas e de estudos.

Na seção de críticas, Daniel Schenker escreve sobre Uma história oficial, da Cortejo Cia de Teatro, dirigida por Rodrigo Portella, em cartaz na Casa de Cultura Laura Alvim. Renan Ji escreve sobre Céu sobre chuva ou Botequim, de Gianfrancesco Guarnieri, com direção de Antonio Pedro Borges, em cartaz no Centro Cultural dos Correios.

Dinah Cesare escreve sobre duas peças: Duo sobre desvios, de Cadu Cinelli e Fabrício Moser, que esteve em cartaz no Rio Art Hostel; e Vestido de noiva, de Nelson Rodrigues, com direção de Renato Carrera, atualmente em cartaz no Teatro Sesc Ginástico.

João Cícero Bezerra escreve sobre Vazio é o que não falta, Miranda, do Teatro Inominável, com direção de Diogo Liberano, que estreou no contexto do Curso de Direção Teatral da UFRJ, fez apresentações no Rio em diferentes ocasiões e agora se apresentará no Fringe do Festival de Curitiba.

Mariana Barcelos escreve sobre Os miseráveis, montagem da XII Mostra de Teatro da UFRJ, do aluno-diretor Pedro Rothe. A análise dos espetáculos de escolas de formação profissional em teatro é parte dos trabalhos para o Prêmio Yan Michalski para o Teatro em Formação, que terá sua primeira edição em 2014.

Na seção de estudos, Daniel Schenker reedita uma matéria – escrita por ele no Jornal do Commercio em 5 de fevereiro de 1997 – sobre Luiz Carlos Ripper, cujo trabalho pode ser conhecido no Centro Cultural dos Correios, na exposição organizada por Lidia Kosovski.

Natalia Nolli Sasso escreve sobre as criações do diretor Nelson Baskerville com diferentes companhias em São Paulo. Manoel Silvestre Friques escreve sobre criações recentes de Peter Brook, Richard Foreman, Peggy Shaw e Judith Malina, que estiveram em cartaz há pouco tempo em Nova York.

Colabroraram nesta edição:

Daniel Schenker, Dinah Cesare, João Cícero Bezerra, Manoel Silvestre Friques, Mariana Barcelos, Natalia Nolli Sasso, Renan Ji.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 53, março de 2013

Vol. VI, nº 52, fevereiro de 2013

28 de fevereiro de 2013 Editoriais

O mês de fevereiro tem sido difícil para o teatro carioca: com diversos teatros fechados há quase um mês, por descaso e irresponsabilidade do poder público, muitas temporadas foram interrompidas – algumas em sua última semana – ou canceladas. Algumas simplesmente não poderão retornar à cidade tão cedo, porque precisam cumprir suas agendas de circulação por outras cidades, ou também porque muitos artistas não têm como conciliar suas agendas fora daquelas datas previstas em contratos que foram simplesmente rompidos. Esta situação mobilizou muitas pessoas das artes cênicas a se manifestar publicamente, se encontrar para debater e procurar soluções para a desagradável situação. Enquanto um grupo atualmente reunido no movimento “Reage, artista!” trabalha para organizar as propostas, a classe teatral carioca aguarda um posicionamento da Secretaria Municipal de Cultura sobre a reabertura dos teatros e as novas diretrizes das suas políticas culturais. Aproveitamos este espaço para manifestar nosso apoio a este movimento e para reivindicar dos órgãos responsáveis um posicionamento mais objetivo, bem como uma abertura mais ampla para o diálogo com os artistas e empreendedores culturais da cidade.

Muitos teatros, no entanto, continuam abertos, e nesta edição analisamos algumas peças em cartaz na cidade, bem como outras que foram criadas no Rio, mas que estão atualmente se apresentando em São Paulo.

Daniel Schenker escreve sobre Gonzagão, a lenda, peça dirigida por João Falcão que esteve em cartaz no Teatro Ginástico; sobre Porcos com asas, que tem direção de Claudio Handrey, em cartaz na arena do Espaço Sesc; e sobre Hoje é ontem também, processo de criação realizado com a diretora argentina Lola Arias e alguns grupos cariocas reunidos pela Ocupação No Lugar, no Teatro Ipanema.

Dinah Cesare escreve sobre Jacinta, uma comédia musical com Andrea Beltrão em cartaz no Teatro Poeira, e sobre Quase normal, musical dirigido por Tadeu Aguiar que fez temporada no Rio no Teatro Clara Nunes e agora está em cartaz em São Paulo.

Outra produção carioca em cartaz na capital paulista é A marca da água, com direção de Paulo de Moraes, que nesta edição tem crítica de Mariana Barcelos. Natalia Nolli Sasso escreve sobre O Abajur Lilás ou uma Medeia perdida na Rua Augusta?, peça do Núcleo Caixa Preta, de São Paulo, em cartaz no Sesc Belenzinho.

No mês de março o Selo Questão de Crítica publicará um novo título em sua Coleção Dramaturgias, o livro do grupo mineiro Quatroloscinco, com o texto das peças É só uma formalidade e Outro lado. Por meio desta publicação, alimentamos as trocas que vimos tendo com o grupo Quatroloscinco, ao longo dos nossos anos de existência – o grupo tem cinco anos, a mesma idade da revista – por isso, resolvemos juntar a fortuna crítica aos textos das peças nesse livro. O lançamento acontecerá no dia 16 de março às 19h no Galpão do Cine Horto na Rua Pitangui, 3613 – Horto – Belo Horizonte.

No mês de março, quando completa cinco anos de atividade, a Questão de Crítica realizará dois importantes eventos, ambos em parceria com o Espaço Sesc. O 2º Prêmio Questão de Crítica será nossa festa de aniversário, celebrada com os indicados ao prêmio, que podem ser conhecidos no blog do evento: www.questaodecritica.com.br/premioqdc. A partir do dia 23 de março, daremos início a uma série de atividades formativas no 2º Encontro Questão de Crítica, cuja programação pode ser conferida no evento que criamos no Facebook: https://www.facebook.com/events/490513071010275/. Em breve, atualizaremos o blog do Encontro.

Colaboraram nesta edição:

Daniel Schenker, Dinah Cesare, Mariana Barcelos, Natalia Nolli Sasso.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 52, fevereiro de 2013

Vol. VI, nº 51, janeiro de 2013

31 de janeiro de 2013 Editoriais

A edição de janeiro de 2013 da Questão de Crítica traz textos sobre processos criativos e críticas de espetáculos atualmente em cartaz na cidade, bem como críticas de peças que já saíram de cartaz, mas que têm potencial de circulação e continuidade.

Dinah Cesare escreve sobre Farnese de Saudade, trabalho solo de Vandré Silveira com direção de Celina Sodré que põe em cena a pesquisa do ator sobre o artista plástico Farnese de Andrade. Ela também escreve sobre O líquido tátil, peça do Grupo Espanca! criada em parceria com o diretor argentino Daniel Veronese, que esteve em cartaz no CCBB no segundo semestre do ano passado, junto com o repertório do grupo.

Daniel Schenker e João Cícero escrevem sobre O lugar escuro, peça de Heloisa Seixas dirigida por André Paes Leme atualmente em cartaz na arena do Espaço SESC, com Camilla Amado, Clarice Niskier e Laila Zaid.

Mariana Barcelos escreve sobre Moi Lui, segunda peça do projeto Beckett, na qual Ana Kfouri está em cena com a direção de Isabel Cavalcanti. O espetáculo está em cartaz no Teatro Poeirinha, juntamente com Primeiro Amor, que teve crítica publicada na edição de dezembro de 2012 da Questão de Crítica.

Renan Ji escreve sobre Oréstia, projeto de Malu Galli, com direção dela e de Bel Garcia a partir da trilogia de Ésquilo. A peça estreou ainda em 2012 e cumpriu temporada na Casa de Cultura Laura Alvim.

Na seção de processos, Jefferson Almeida escreve sobre o processo de criação da sua montagem de Deus e o diabo na terra do sol, realizada a partir do filme de Glauber Rocha, no contexto do curso de Direção Teatral da UNIRIO. Ainda nesta seção, Andrea Santiago escreve sobre a 2ª edição do projeto ENCENA, realizado na Galeria TAC, na Lapa. A intenção do evento, idealizado e produzido por Luciana Guerra Malta, é que grupos apresentem parte do seu processo de criação e/ou linha de trabalho que resultará numa montagem, para ter um retorno do público durante o processo.

Colaboraram nesta edição:

Andrea Santiago, Daniel Schenker, Dinah Cesare, Jefferson Almeida, João Cícero Bezerra, Mariana Barcelos, Renan Ji.

Editora:

Daniele Avila Small.

Questão de Crítica – revista eletrônica de críticas e estudos teatrais

ISSN 1983-0300
Vol. VI, nº 51, janeiro de 2013

Newsletter

Edições Anteriores

Questão de Crítica

A Questão de Crítica – Revista eletrônica de críticas e estudos teatrais – foi lançada no Rio de Janeiro em março de 2008 como um espaço de reflexão sobre as artes cênicas que tem por objetivo colocar em prática o exercício da crítica. Atualmente com quatro edições por ano, a Questão de Crítica se apresenta como um mecanismo de fomento à discussão teórica sobre teatro e como um lugar de intercâmbio entre artistas e espectadores, proporcionando uma convivência de ideias num espaço de livre acesso.

Edições Anteriores