Tag: Looping: Bahia Overdub

Para mastigar o teatro

19 de novembro de 2019 Críticas

English version: http://www.questaodecritica.com.br/2019/11/fringe-2019-english/

Em agosto de 2019, passei uma semana em Edimburgo, assistindo às peças do Fringe, festival que viabiliza um imenso mercado de artes cênicas que é referência no mundo inteiro. Representando a MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, acompanhei a programação do Edinburgh Showcase do British Council (que inclui obras que fazem parte do Edinburgh Festival Fringe e do Edinburgh International Festival). Foram mais de trinta espetáculos em seis dias – o que não é nada em comparação aos quase 4.000 que fizeram parte da edição deste ano. Neste artigo, escrevo sobre uma parte dessa programação. Não pretendo fazer uma crítica de cada trabalho, mas apresentar algumas ideias que se formaram no acúmulo e nos atravessamentos.

Chewing Theatre

19 de novembro de 2019 In English, Traduções

Em português: http://www.questaodecritica.com.br/2019/11/fringe2019/

In August 2019, I spent a week in Edinburgh, watching plays at the Fringe, a festival which is a worldwide reference and that provides an immense market for the scenic arts. Representing Brazilian festival MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, I attended the British Council Edinburgh Showcase (which includes plays on the Fringe and the Edinburgh International Festival). It included more than thirty shows in six days – which is nothing compared to the almost four thousand shows that are part of this year’s edition. In this article, I will write about a part of that program. I do not intend to write a review for each play, but to present a few ideas that came to my mind regarding all those plays together and side-by-side.

Batucada, Looping e multidão

22 de dezembro de 2016 Críticas

 

Faço neste ensaio um exercício crítico sobre duas performances apresentadas durante o Festival Panorama da Dança 2016: Batucada, de Marcelo Evelin; e Looping: Bahia Overdub, de Felipe de Assis, Rita Aquino e Leonardo França. O exercício é uma tentativa de conversar com algumas proposições artísticas da dança contemporânea que abrem espaços para uma participação diferenciada do espectador, de modo que esta abertura não se configure como simples figuração, mas como fusão de fato, com e na obra. Este fato estético não está apartado da realidade nem do momento político em que vivemos, no qual alguns direitos que pareciam assegurados têm sido sistematicamente ameaçados por medidas de exceção que atingem as conquistas do passado. A criação artística, neste sentido, parece acender seus sinais de alerta para, de diferentes maneiras, inventar outras formas de vida e de arte que incluem uma percepção social mais aguda.

Inicio pela primeira proposição, fazendo antes um relato que contextualiza o encontro com a obra.

Notes

Newsletter

Edições Anteriores

Questão de Crítica

A Questão de Crítica – Revista eletrônica de críticas e estudos teatrais – foi lançada no Rio de Janeiro em março de 2008 como um espaço de reflexão sobre as artes cênicas que tem por objetivo colocar em prática o exercício da crítica. Atualmente com quatro edições por ano, a Questão de Crítica se apresenta como um mecanismo de fomento à discussão teórica sobre teatro e como um lugar de intercâmbio entre artistas e espectadores, proporcionando uma convivência de ideias num espaço de livre acesso.

Edições Anteriores