Autor Luiz Felipe Reis

Heiner Goebbels — Polifonia cênica como política da forma. Um gesto estético contra a hierarquia da cena e dos sentidos

25 de abril de 2016 Estudos

Vol. IX, nº 67 abril de 2016 :: Baixar edição completa em PDF

Resumo: O pesquisador e multiartista alemão Heiner Goebbels é o objeto principal deste texto, que buscará, entre os formatos do ensaio e da reportagem, analisar parte da sua trajetória artística e relacioná-la, com maior ênfase, a uma de suas mais reconhecidas criações cênicas, a instalação maquínico-performativa Stifter’s dinge. Entrevistas individuais e conferências concedidas por Goebbels servirão ao desenvolvimento do texto, que dialoga ainda com formulações de nomes como Bertolt Brecht, Heiner Müller, Michel Foucault e outros.

Pesquisa ou ofício? Nove teses sobre educação para futuros artistas performativos

25 de abril de 2016 Traduções e

Vol. IX, nº 67 abril de 2016 :: Baixar edição completa em PDF

Por Heiner Goebbels

Tradução de Luiz Felipe Reis

 

A tradução foi feita a partir da versão em inglês, publicada em dezembro de 2012 no MIT Presse Journals. Disponível em: http://www.mitpressjournals.org/doi/abs/10.1162/PAJJ_a_00123?journalCode=pajj#.Vw8aM9QrIrg

A primeira publicação, em alemão, está no livro Ästhetik der Abwesenheit: Texte zum Theater, lançado em outubro de 2012.

Notes

Newsletter

Edições Anteriores

Questão de Crítica

A Questão de Crítica – Revista eletrônica de críticas e estudos teatrais – foi lançada no Rio de Janeiro em março de 2008 como um espaço de reflexão sobre as artes cênicas que tem por objetivo colocar em prática o exercício da crítica. Atualmente com quatro edições por ano, a Questão de Crítica se apresenta como um mecanismo de fomento à discussão teórica sobre teatro e como um lugar de intercâmbio entre artistas e espectadores, proporcionando uma convivência de ideias num espaço de livre acesso.

Edições Anteriores