Vol. V, nº 42, março de 2012

31 de março de 2012 Editoriais

No mês de março de 2012, a Questão de Crítica comemora 4 anos de atividades no Rio de Janeiro com duas ações complementares.

Realizamos, no dia 6 deste mês, o 1º Prêmio Questão de Crítica, no Teatro Gláucio Gill, como parte das atividades da Ocupação Complexo Duplo. A premiação contemplou artistas e espetáculos que estiveram em cartaz na cidade em 2011, independentemente do número de apresentações que a peça cumpriu ou da cidade em que foi produzida. O resultado da premiação pode ser conhecido no blog do Prêmio: http://questaodecritica.com.br/premioqdc/

Nesta mesma festa, lançamos a nossa primeira edição impressa, uma edição comemorativa, com textos sobre os espetáculos indicados ao Prêmio. O livro pode ser adquirido no site da Editora Multifoco: http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro&idProduto=781

A edição de março conta com textos sobre espetáculos do Rio, de Curitiba, de Belo Horizonte e de São Paulo, além de contar com uma crítica de teatro escrita por um crítico de cinema – fato raro no cenário teatral carioca.

Na seção de estudos, Eduardo de Araújo Teixeira escreve sobre Lamartine Babo, espetáculo de Antunes Filho e Emerson Danesi, que fez temporada na capital paulista e esteve brevemente no Rio de Janeiro no Teatro Nelson Rodrigues. Na seção de críticas, Pedro Allonso também escreve sobre uma peça de um grupo paulista, Música para cortar os pulsos, de Rafael Gomes, da Empório de Teatro Sortido.

Publicamos textos sobre espetáculos que estiveram no Rio na programação do Mambembão 2012, evento realizado pela FUNARTE. Luciana Romagnolli escreve sobre a nova criação da Companhia Brasileira de Teatro, de Curitiba: Isso te interessa?. Daniel Schenker escreve sobre outra peça curitibana, Árvores abatidas ou Para Luís Mello, monólogo de Rosana Stavis com texto adaptado de Thomas Bernhardt pelo diretor Marcos Damaceno. Humberto Giancristofaro escreve sobre Outro lado, do grupo mineiro Quatroloscinco – Teatro do Comum.

Do Rio de Janeiro, Mariana Barcelos faz a crítica de O bom canário, de Zacharias Helm, que esteve em cartaz no Teatro Poeira com Flavia Zillo e Joelson Medeiros. Cezar Migliorin, crítico de cinema, escreve sobre Adeus à carne, de Michel Melamed, em cartaz no Teatro SESC Ginástico. Dâmaris Grün escreve sobre Dorian, da Companhia de Teatro Íntimo, em cartaz atualmente no Teatro Gláucio Gill, com direção de Renato Farias.

Dorian foi o tema do Encontro Pensamento de março, ciclo de debates que tem curadoria de Dâmaris Grün e Humberto Giancristofaro, e que contou com a presença de Masé Lemos, Doutora em Letras pela Sorbonne-Paris 3 e atualmente é professora de Teoria da Literatura na UERJ e Tiago Leite, Mestre em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e doutorando em Literatura Brasileira pela mesma universidade, e do diretor do espetáculo para uma conversa com o público e os integrantes do grupo. O vídeo do debate pode ser assistido na TV Questão de Crítica, nosso canal no Vimeo.

Colaboraram nesta edição:

Cezar Migliorin, Daniel Schenker, Dâmaris Grün, Eduardo de Araújo Teixeira, Humberto Giancristofaro, Luciana Romagnolli, Mariana Barcelos, Pedro Allonso.

Editora:

Daniele Avila Small.

Notes

Newsletter

Edições Anteriores

Questão de Crítica

A Questão de Crítica – Revista eletrônica de críticas e estudos teatrais – foi lançada no Rio de Janeiro em março de 2008 como um espaço de reflexão sobre as artes cênicas que tem por objetivo colocar em prática o exercício da crítica. Atualmente com quatro edições por ano, a Questão de Crítica se apresenta como um mecanismo de fomento à discussão teórica sobre teatro e como um lugar de intercâmbio entre artistas e espectadores, proporcionando uma convivência de ideias num espaço de livre acesso.

Edições Anteriores